Manutenção de estoques e planejamento de cozinha

Antigamente, a armazenagem doméstica de alimentos era imprescindível para a vida. Todas as pessoas mantinham estoques de alimentos de forma racional e, conforme as técnicas disponíveis na época, os armazenavam para que se conservassem por longos períodos. Normalmente os alimentos eram armazenados em um porão, em parte subterrâneo, ou em uma despensa, recinto obrigatório nas casas antigas.

O armazenamento doméstico de grandes quantidades de alimentos tornou-se obsoleto com o advento dos „armazéns“, antigas lojas de produtos variados surgidas graças à produção industrial e à possibilidade de conservar alimentos. A produção industrial de alimentos e sua disponibilidade no comércio provocou uma redução da conservação e armazenamento domésticos.

 

Apesar disso, a armazenagem doméstica de alimentos ainda continua a ser uma importante área do planejamento de cozinhas. Hoje em dia, a maioria das pessoas busca cozinhas que permitam uma certa disponibilidade dos diversos ingredientes e mercadorias em casa para o preparo dos mais variados pratos com flexibilidade e criatividade. Com o passar do tempo, esses estoques tornaram-se cada vez mais variados e conquistaram um lugar exclusivo no ambiente doméstico. A visão da alimentação de astronautas virou coisa do passado.

 

É muito desagradável constar que o planejamento de uma cozinha não previu espaço suficiente para armazenamento. Esse risco existe quando os requisitos estéticos entram em conflito com os aspectos funcionais. O usuário deve antes verificar o espaço de armazenamento, seus hábitos de compras e então decidir de que armários necessitará e de qual tipo. Esse espaço de armazenamento se encontra diretamente na cozinha, e não em uma despensa separada como antigamente. O usuário tem acesso direto aos alimentos e não precisa se deslocar até um recinto separado. Além disso, os armários-despensa de hoje são organizados perfeitamente e, em pouca superfície, permitem guardar mais que em uma despensa separada. Em vista do elevado preço do metro quadrado no atual mercado imobiliário, é fundamental que se considere esse aspecto.

 

O espaço para estocagem é posicionado na geladeira, em armários altos especiais ou em armário de piso otimizados para a finalidade. Para isso, a indústria oferece uma miríade de soluções inteligentes que substituem a antiga despensa e melhoram a disponibilidade. É importante que os armários sejam dimensionados em tamanho adequado e o acesso por gavetas seja confortável e proporcione uma visão perfeita, evitando a busca por alimentos vencidos há muito tempo ou que se tenha de esvaziar os armários para encontrar algo escondido no fundo.

 

Os fabricantes oferecem geladeiras com diferentes alturas e larguras, com interior sofisticado e energeticamente eficientes. Suas diferentes zonas de temperatura permitem o armazenamento de diferentes estoques por longos períodos. Uma vez que será utilizada com frequência, a geladeira deve ser montada a uma altura ergonomicamente adequada que não exija que o usuário se curve.

 

Alimentos não perecíveis podem ser armazenados nas chamadas prateleiras extraíveis e demais elementos com corrediças de curso completo, em quase todas as larguras e alturas. Os armários-despensa sempre devem ficar próximos à geladeira e a pouca distância da área de preparação dos alimentos. Também é importante que tenham boa acessibilidade. Prateleiras extraíveis, por exemplo, não podem ser instaladas rente a paredes para garantir o acesso pelos dois lados. Além do acesso lateral, as prateleiras extraíveis diferem das gavetas e dos armários-despensa por terem lateral aberta, o que permite visualizar melhor o estoque e quantidade. Um complemento interessante são os armários especiais, tais como armários de garrafas, que podem ser facilmente integrados à cozinha graças às suas dimensões reduzidas.