Origens da estocagem

A história dos estoques tem origem na Idade da Pedra. Desde aquele tempo, não apenas os métodos de estocagem e conservação se alteraram radicalmente, também seus objetivos mudaram. Se hoje em dia um armário-despensa bem abastecido oferece principalmente praticidade e economia, naquele tempo os estoques eram cruciais para a existência de nossos ancestrais. Só assim era possível sobreviver aos meses sem safra. Os estoques permitiam-lhe literalmente „atravessar o inverno“.

 

A estocagem também tinha forte influência sobre a arquitetura. Em residências construídas antes de 1914 se encontram porões com abóbodas e piso de argila socada nos quais a temperatura média é de 10 °C e a umidade do ar supera os 90%. Condições ideais para armazenar batatas e maçãs em bandejas de madeira. Nessa época, os porões eram equipados com recipientes de pedra para fazer conservas em vinagre e salgar alimentos. Hortaliças tuberosas como cenouras, aipo e escorcioneira eram conservadas em caixas de areia para uso na entressafra.

 

Nos anos 20, novos padrões foram definidos com a chamada „Cozinha de Frankfurt“, uma cozinha padrão planejada considerando aspectos ergonômicos e técnicos para apartamentos alugados. Foi o nascimento da cozinha embutida moderna. Naquele tempo, abrir latas de conserva era uma tarefa importante do trabalho na cozinha. No entanto, mal havia espaço para guardar os alimentos. O bom e velho porão para estocagem ficou obsoleto. Apesar de sua abordagem moderna, a Cozinha de Frankfurt foi apenas um protótipo para a cozinha embutida dos dias de hoje.

 

Outro marco na história da manutenção de estoques foi a invenção da geladeira pelo engenheiro alemão Carl von Linde. Nos anos 50 e 60, a geladeira conquistou seu lugar como símbolo de status. Mais de 10 mil anos na história da evolução de técnicas de conservação de alimentos depois, esse método de conservação simples e econômico é hoje em dia parte da normalidade. A geladeira foi vista como um substituto moderno para a despensa.

 

Apesar disso, até os anos 70 as conservas industrializadas ainda eram muito populares na cozinha alemã. As ervilhas em conserva só ganharam concorrência a partir da invenção do congelador. Junto com o espinafre e os palitos de peixe, as ervilhas congeladas, com seu verde e vitaminas preservados, conquistaram as cozinhas e corações dos alemães.

 

Mas como é a estocagem de alimentos não-perecíveis? Saiba mais em nossas dicas de estocagem.